Vale a pena pagar pelo LinkedIn Premium?

O quê você ganha pagando pelo LinkedIn Premium?

A resposta para esta pergunta é: depende dos seus objetivos. Eu uso o LinkedIn Premium e irei descrever as funcionalidades extras que ele oferece. Cabe a você decidir se vale a pena pagar por elas ou não.

Dicas para se conectar melhor com o LinkedIn
  1. Distintivo: A primeira coisa que acontece quando você se torna um assinante do LinkedIn é ganhar um distintivo dourado que aparece ao lado do seu nome. Você pode optar pelo padrão, que é igual ao logo do LinkedIn azul, só que dourado, e pelo distintivo que denota que você está ativamente buscando novas oportunidades (uma mala dourada). Caso você esteja empregado e seus chefes e colegas sejam seus contatos no LinkedIn, eu sugiro que tenham cautela em usar o distintivo de job seeker. 
  2. OpenLink: Ao lado do seu novo distintivo aparece o símbolo do OpenLink (um círculo formado por bolinhas coloridas). Pessoas que pertencem à rede OpenLink podem mandar mensagem entre si sem serem contatos de primeiro grau. Você pode optar por não deixar o OpenLink visível, assim outras pessoas da rede não poderão te contactar, mas vale muito a pena fazer parte da rede!
  3. Inmail: Esta é definitivamente a funcionalidade mais útil do LinkedIn Premium na minha opinião! Você pode enviar mensagens para pessoas fora da sua rede de contatos. As mensagens são limitadas (o número varia de acordo com seu plano) e acumulam a cada mês se não forem totalmente utilizados. Se você enviar um Inmail para alguém que pertença ao OpenLink, você não gasta créditos do Inmail. O LinkedIn garante resposta, ou seja, se a pessoa que você contactou não responder, você recebe seu crédito de volta. Eu uso muito o Inmail quando me candidato para uma vaga, para contactar a pessoa que postou a vaga ou pessoas da empresa em que eu estou interessada. Obviamente que não é todo mundo que responde, mas eu já tive ótimos resultados usando o Inmail, já consegui participar de processos que eu não teria participado somente mandando o CV pelo LinkedIn ou pelo site da empresa.
  4. Prioridade na busca: Quando você aplica para uma posição, tem a opção de 'marcar' seu perfil para fortalecer sua candidatura (feature my application). Assim seu perfil (e os outros Premium) aparecerá no início da lista do recrutador (similar ao que acontece com as empresas que pagam mais pelos links patrocinados na busca do Google). Eu particularmente não vejo muita vantagem nessa funcionalidade. A visualização dos meus applications por recrutadores não aumentou depois que virei assinante. Se o recrutador fizer uma busca geral no LinkedIn as pessoas dentro do critério de busca que tiverem o distintivo Premium aparecem primeiro no resultado. 
  5. Ver quem viu seu perfil:  LinkedIn Premium você vê todas as pessoas que viram seu perfil (dependendo de suas configurações) e algumas estatísticas, tais como visitantes por indústria e localidade. Eu acho esta funcionalidade interessante, já cheguei a contactar pessoas que entraram na minha página várias vezes porque tinham o perfil interessante (eu geralmente aproveito qualquer oportunidade de networking). O problema é que muitas pessoas estão bloqueando sua identidade quando visitam outros perfis assim eles não são identificados (e também não podem ver quem acessa seu perfil), logo, você não aproveita 100% da funcionalidade. Eu só vejo benefícios em saber quem visitou minha página e não tenho problema nenhum que vejam que eu entrei no perfil delas já que só visito perfis que me interessam profissionalmente.
  6. Dados sobre emprego: Você pode ver a faixa de salário dos empregos postados no LinkedIn, mas esta funcionalidade não está disponível no Brasil. Só tem utilidade se você estiver buscando empregos fora.

Estas são as funcionalidades mais relevantes que o LinkedIn Premium (Job Seeker) oferece. Minha sugestão é você aceitar uma oferta de usar o LinkedIn Premium por 1 mês de graça (quando você acessa muito o LinkedIn eles te enviam e-mails com esta oferta) e tirar suas conclusões se vale a pena pagar ou não. 

Este é o último post sobre LinkedIn, espero que tenha esclarecido as principais dúvidas. Caso tenha interesse em algum tópico que não foi abordado nestes 3 posts, avise que eu terei o maior prazer em falar mais sobre este assunto. 

Texto escrito por Exec

5 comentários :

  1. Obrigada mesmo pelas informações relevantes. Estava realmente em dúvida se não seria mais um site querendo "dinheiro" para publicar currículo.
    A vantagem que vejo do LinkedIn sobre as demais empresas que oferem serviços pagos online, é que todas as empresas estão no mesmo "universo" acessíveis, inclusive estes sites dos quais me referi.
    Não quero desmerecer nenhuma empresa, mas nunca ouvi alguém dizer que pagou por N empresas e conseguiu a recolocação no mercado se trabalho.

    Vou fazer meu teste por 30 dias.

    Obrigada mais uma vez!

    ResponderExcluir
  2. É muita indecência cobrarem acesso a informações sobre vaga de emprego. A pessoa já está é precisando de dinheiro e ainda ter que pagar?

    Vc não deveria nem fazer um post desses.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. kkk o mundo é dinheiro, dinheiro faz dinheiro, é o sistema, economia livre, aqui não é a venezuela, nem coreia do norte, ainda não, auhauhauhuh
      http://defendaseudinheiro.com.br/

      ótimo post, gostei!

      Excluir
    2. Este comentário foi removido pelo autor.

      Excluir
    3. Ola Paulo a questão é que muitas vezes os profissionais já estão empregados,estão buscando networking ou posições melhores do seu mercado, e não estão a procura de sub-empregos. Estão fazendo carreira em áreas que são de acordo com sua escolha acadêmica.
      Abraços.

      Excluir